Comentários do poeta

TALVEZ O MEU LIVRO MAIS ÍNTIMO

Talvez alguns estranhem a frase “Cartas ao grande amor é meu livro mais íntimo”, retrucando “Todos os seus livros são íntimos!”. É verdade, mas Cartas possui uma intimidade diferente, já que além de poemas traz memórias poéticas. Essas memórias, transcritas em prosa, acabaram exigindo que os poemas escolhidos tivessem essa característica caseira, de intimidade. São histórias minhas que, certamente, foram também vividas por muitas pessoas.

O livro nasceu da minha descoberta de estar, já alguns anos (acho que de 2005 a 2013), escrevendo prosas poéticas que mais pareciam cartas, cartas que mais pareciam memórias. Pensei: ih, acho que é um livro. Era. E passei a tentar registrar todas as lembranças que vivi de tempos extraordinariamente amorosos, das grandes secas sentimentais, do equilíbrio que um dia chega.

Cartas é dividido em 5 “endereços”: Largo dos Primeiros Suspiros, que traduz o frio na barriga, as dúvidas, as ansiedades dos amores e desejos iniciais; Rua dos Bons Encontros, com relatos dos amores vividos com saúde e alegria; Praça dos Definitivos Adeuses, com textos mais voltados à experiência da dor, da saudade e da espera; Ladeira das Vinganças, conjunto de poemas e prosas poéticas “de resposta” ou voltadas ao humor; e Avenida das Sabedorias, quando o tempo ensina a guardar apenas o lado positivo dos amores.

Outra declaração que pode causar estranheza a quem acompanha a minha trajetória poética: Cartas ao grande amor, de algum forma, lembra a essência do meu primeiro livro, Entre dois invernos, que tinha na liberdade a sua principal promessa. Minha maneira de escrever, hoje, é bem diferente da de 25 anos atrás, mas acho que a essência que me faz continuar vivendo na poesia ainda é a mesma.

Estrutura gráfica e lançamento
A concepção gráfica do livro nasceu da minha paixão por azulejos, em especial os portugueses, que trazem a sensação de casa, intimidade, encontro. Numa loja de rua, em Barcelona, vi as letras do alfabeto em forma de azulejos e na hora decidi: é essa a capa do livro. Liguei para a Heliana Soneghet Pacheco, designer de todos os meus livros, e perguntei o que ela achava. Ela aprovou a ideia e os azulejos passaram a ser o tema visual do Cartas. Em seguida, tivemos a ideia de fazer dos azulejos selos para ilustrar os 5 “endereços”.

O lançamento aconteceu na Livraria Mini Book Store, no Museu da República, no Catete, no dia 11 de outubro de 2014.

.