CONVICÇÕES

Meus mortos agora são íntimos,
sabem o que supunham saber.

Compartilham minhas atuais convicções
já não há mais fronteira ou vergonha,

Presentes em pensamentos e desejos
nada dizem ou julgam: observam, se nutrem
na estranha permanência de ainda existirem.

Meus mortos agora são meus,
sabem o que suponho saber.


2013