Poema de mar 2

Às antigas chalanas
e seus exaustos tripulantes
o merecido descanso no cais.

Todos os dias
despejo nossas memórias
oferecendo tesouros ao fundo.

É possível envelhecer sem mortes.


2012