Sua poesia me traz sossego. Como que reafirma algo que já sabia mas precisava ser posto no papel. E, claro, não foi por mim, mas apesar disto, te juro que quando leio em voz alta escuto a tua em voz nítida, então é sempre a você que brindo cada gota da emoção que sinto. Você é um presente, Jacinto!


Leila Leonardo, jornalista, 13/08/2016